Páginas

domingo, 4 de outubro de 2015

"E o filho feito a dois, sozinha ela carregava"

Há muito tempo que mãe solo deixou de ser um termo isolado da sociedade, o fato é que hoje existem mais famílias assim do que o mundo jamais viu. Cresci em uma dessas, da qual minha mãe é uma grande protagonista. Me lembro de chorar naquelas cenas emocionantes de pai e filha assistidas em filmes mas não me lembro de sentir falta da presença dele. Porém conheço quem daria muito de si para voltar no tempo e ter a oportunidade de crescer com um por perto.
A realidade é que a mãe agora sou eu e meus conceitos sobre a importância da paternidade sob a vista de filha e de mãe são muito diferentes. Enquanto a filha não sente falta do almoço do dia dos pais, a mãe aqui queria tanto ter alguém para chamar para correr e ver aquele sorriso mais lindo do mundo que o bebê acabou de dar. E enviar as fotos daquele momento inusitado de uma coisa nova que o bebê acabou de fazer e os vídeos das gargalhadas que logo logo vão estar acontecendo e quando e ele chegar em casa ficar louca para o pequenino repetir só para poder compartilhar daquilo com ele e compartilhar os primeiros passinhos, as palavras e por que não as noites difíceis, a febre à reação das vacinas e a hora das mamadas em que poderia colocar o bebê para arrotar só para eu poder continuar deitada de madrugada. E daí se a primeira palavra for papá e não mamã, o importante é que ele tenha a quem chamar e eu com quem contar, não só para pegar um copo de água enquanto dou de mamar mas simplesmente para estar lá e ter a quem abraçar e no final do dia perguntar como foi seu dia.

domingo, 27 de setembro de 2015

Não me faltam motivos para sorrir e eu sou TÃO grata, mas as vezes dá muita vontade de chorar.

 
Queria ter alguém pra quem eu pudesse ligar e desabafar agora, que topasse passar um pouco da madrugada acordado comigo. Só contar tudo sabe, uma fofoca da minha vida. Queria ser ouvida sem julgamentos, desses que não resolvem nada. A definição de amigo para mim é a pessoa com quem você pode estar no mesmo ambiente e não ter assunto e não se sentir incomodado com isso, já tive alguém assim, mas as amizades as vezes  se perdem e fica difícil lembrar quando foi a última vez que... e reconstituir todos os passos. Gostaria de falar com Deus, mesmo que ele já saiba tudo que vou dizer, queria contar tudo, como uma criança que vai correndo para a mãe contar que aquele coleguinha com quem brincava a machucou. Não sou boa com palavras, não consigo me expressar direito quando falo, há muito tempo eu costumava escrever cartas para Deus e aí expor as coisas que gostaria de falar. Quando falo com Deus eu sinto que, ainda que me ache manhosa, dramática ou repetitiva demais, não se incomoda em me ouvir, Ele entende, Ele se importa. Palavras que soam reconfortantes dentro de mim "Ele entende" e mesmo que eu não saiba me expressar, mesmo que eu só saiba chorar. Deus lê lágrimas.
 

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Diário do bebê: 1º Mês


Meu bebê chegou e hoje faz 37 dias de muita gostosura do meu gatinho. Então vim aqui relatar um pouco sobre esse primeiro mês de adaptação, pois pra ele é um mundo novo fora da barriga, onde aqui para nós tudo mudou.

Nícolas nasceu em um domingo no dia 16 de agosto, às 05:06 da manhã, de exatas 39 semanas e parto normal graças a Deus. Não fomos separados nem um minuto. Ainda na sala de pós parto lhe ofereci o peito e ele pegou, é incrível como ele sabia o que fazer! E aqui estamos exclusivamente com o leite materno até hoje, espero assim amamentá-lo até os seis meses. 
Sobre a amamentação, confesso que no começo foi bem difícil, o leite veio de uma vez logo depois do parto e meus seios pareciam que iam estourar a qualquer momento. Nossa! Doía, e como doía, porque estavam empedrando, o bebê mamava pouquinho nos primeiros dias devido a termos que aprender a lidar com a pega certa e ele também passava a maior parte do tempo dormindo, tanto que era preciso tirar toda a roupinha e ficar cutucando para continuar a mamar. Hoje ele já consegue esvaziar os dois ehhh!! e assim acaubou meu problema com os seios doloridos, porém os bicos machucaram e levaram um tempo a mais para sarar, mas na segunda semana amamentar já não era mais tão dolorido.
O Nícolas está muuito apegado ao colo, dizem que o viciei mas penso que bebê NÃO faz manha e, aliás gente, quem não gosta de um colinho? Aproveito o tempo que dorme para fazer outras coisas. É muito gostoso quando fica deitado de bruços sobre o nosso peito e quando está acordado já ergue a cabecinha para nos olhar. Também fica bastante atento ao que está acontecendo em volta e sabe quando há alguém conversando com ele, o que gosta bastante, que conversemos com ele.
Descobri que a maternidade é maravilhosa e apesar do cansaço, das olheiras, dos banhos de 2 minutos e das refeiçoes inacabadas sou grata todos os dias por ele estar aqui, não gostaria que fosse diferente e já me arrependi do "apesar".

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Desenhos Na Barriga.

Uma dica muito legal sobre coisas para fazer na gravidez é desenhar na barriga. Fui inspirada depois de navegar pelo canal da Glenya Taynara no you tube e achar um máximo os desenhos na sua barriguinha de gêmeos.
Compartilho aqui com vocês algumas fotos dos desenhos que fizemos. O Dhord´s fez e ficaram demais, confiram:

                                                                            Super Mário

                                     
                                                                         Melancia
                                        
                                           

                                                                    Bola de Basquete



E por enquanto foram estes!

sexta-feira, 13 de março de 2015

Novidade+ Gravidez+ Muito Feliz :)


 Oi pessoal, depois de milênios sumida voltei com uma novidade de 16 semanas e 5 dias, pois é, estou GRÁVIDA!!!!! Sabe quando agente é pequena e pensa no futuro e imagina tantas coisas, para o meu eu mais nova 2014 seria o ano da formatura, também estaria melhor economicamente falando, e em breve me casaria e teria filhos e coisa e tal. Meu eu do passado não pôde prever que demoraria dois anos para começar a faculdade depois do ensino médio e portanto a formatura seria adiada para além de 2014, que ainda não será 2015, durante esse tempo economizei zero de grana, pois trabalhei para pagar a faculdade e depois de conseguir a bolsa... me casei... 
Cinco meses após me deparei com um positivo assustadoramente maravilhosooo. A eu, a do passado, poderia prever essa felicidade, porém não sabia que viria tão rápido. E foi assim gente, um dos dias mais felizes da minha vida, sério mesmo. E aqui estou com um bebezinho de aproximadamente 160g que já sinto mexer, bem de leve, lá dentro como se fossem borboletinhas na barriga. Isso nem mágico é, é realidade, é coisa de Deus.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Aquele Lugar


Sabe essa vontade louca de sair por aí, e explorar, e parar, e olhar o céu, olhar em voltar, e... respirar fundo tendo convicção de é realmente ali que você gostaria de estar. Eu sei, só que de onde estou não tenho isso que chamei de convicção, queria mesmo era ir pra lá, lá onde os pássaros cantam e não são ofuscados pelo barulho do trânsito que escuto agora, onde eu levante os olhos para o céu e consiga ver o infinito, ou horizonte, sei lá mas não edifícios. Quero sentir aquele cheiro de terra molhada, mesmo que não tenha chovido, é que em lugares assim apenas a brisa de manhã já produz essa sensação. 
Não que eu não goste do ambiente urbano, mas que seja ele diferente e não essa rotina de mesmas paisagens que me rodeiam, pegar um ônibus diferente, quem sabe o vermelhinho de Londres. Ter uma janela como essa aqui do lado mas com vista para o Central Park e não para aquela escola que está sempre aqui em frente e  todos aqueles carros que se movimentam ali em embaixo. Porém não trocaria  uma caminhada na estrada que vai que para aquele lugar, lembra? por Londres ou New York porque eu queria mesmo era estar lá. 

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Blog abandonado!? Peraí, vamo repaginar né.


Sabe quando quando você quer muito uma coisa mas não se empenha para conseguir, e você não sabe o por quê. Talvez  o termo certo não seja a falta de empenho, mas por algum motivo não consiga vencer a rotina ou obstáculos de cada dia, como a falta de tempo, para concretizar os seus objetivos. É fato que não existe falta de tempo para quem realmente quer. Como dizem "noite vira dia" e coisa e tal, porém eu não sei o que acontece comigo, na verdade sei mas sei também que não deveria ficar tanto tempo sem fazer uma coisa que gosto, que é o que estou fazendo agora ehhh!, por "falta de tempo". 
As aulas na faculdade voltaram, comecei também a trabalhar (PAUSA, em shopping, pensa na jornada, o danado funciona de domingo a domingo, feriados, natal... -chega de drama Soraia. Gente, é incrível como me faço de vítima, confesso). Resultado: nem fiz a conta de há quantos dias eu não posto nada.
Queria escrever todos os dias, queria fazer as listas de cálculo que os professores passam, queria me alongar diariamente pela tão antiga meta de conseguir fazer abertura, orar mais, passar mais tempo com a minha família, ligar mais para o meu avô, procurar minha antiga melhor amiga e passar horas rindo de coisas tolas. É dessas coisas que falo que quero tanto e às vezes fico estacionada no congestionamento da rotina que envolve a minha vida e depois vencida pelo cansaço. Não queria que fosse assim, mas o que me anima é que realmente eu quero que não seja assim, e isso mostra para mim mesma que não me corrompi.